Cientistas alertam: Animais podem espalhar ebola

Pelo menos 15 países africanos, principalmente nas regiões centrais do continente, estão em alto risco do Ebola ser espalhado por animais, além dos sete países anteriores que relataram casos de transmissão zoonótica da doença, de acordo com a nova pesquisa fora do Reino Unido. Os modelos preditivos criados por pesquisadores da Universidade de Oxford sugerem que o atual surto de Ebola acabará por se espalhar nos próximos meses para o leste por animais selvagens, afetando países como Camarões, Guiné Equatorial e Gabão.

Uma vez que se acredita que a estirpe do Ebola atualmente espalhada se originou da África Central, continua a ser um mistério como ela acabou provocando o pior surto da história na costa ocidental da África. Mas especialistas dizem que ela acabará por voltar à sua terra natal, onde dezenas de milhares de pessoas enfrentam a infecção e possível morte.

Segundo a pesquisa, que foi publicada na revista eLife, morcegos frugívoros são o principal vetor para a doença e provavelmente espalharão a doença para os seres humanos que vivem na região central de África. Acredita-se que várias espécies de morcegos frugívoros são capazes de transportar a doença, alguns sem sintomas, e que essas criaturas vão infectar outros morcegos e animais, como macacos e roedores.

Uma vez que muitas pessoas na África Central comem morcegos e macacos - essas e outras criaturas são referidas comumente como "carne de caça" - a probabilidade de que os animais infectados acabarão por infectar os seres humanos é forte. Isto é especialmente real entre os grupos de pessoas que comem a carne destas criaturas cruas em vez de cozidas, aumentando drasticamente a probabilidade de infecção.

"Nosso mapa mostra o provável 'depósito' do vírus Ebola nas populações animais, e isso é maior do que foi anteriormente estimado", afirmou Nick Golding, pesquisador do Departamento de Zoologia de Oxford, e autor do estudo. "Isso não significa que a transmissão aos seres humanos é inevitável nessas áreas, apenas que todas as condições ambientais e epidemiológicas adequadas para que um surto ocorra lá."

Atual surto de ebola espalha a estirpe mais mortal conhecida

De acordo com especialistas, há cinco estirpes conhecidas de Ebola: Zaire, Sudão, Tai Forest, Bundibugyo e Reston. O Ebola Zaire, a cepa que atualmente acredita-se estar se espalhando por todo oeste da África, é a mais virulenta, enquanto os outros são menos dramáticos e muito mais fáceis de conter. O Reston é a única cepa que, de acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), nunca provocou um surto.

Devido à sua enorme proximidade um do outro, os seguintes países têm o maior risco de ver o Zaire propagar-se por animais, pela primeira vez dentro dos limites nos próximos meses: Nigéria, Camarões, República centra da África, Gana, Libéria, Serra Leoa, Angola, Togo, República Unida da Tanzânia, Etiópia, Moçambique, Burundi, Guiné Equatorial, Madagáscar e Malawi.

Até o momento, a OMS confirmou que o atual surto de Ebola já matou 2.288 pessoas. Metade deles, diz a agência, morreram apenas dentro das últimas três semanas, indicando que a propagação da doença está chegando a uma taxa exponencial. As suspeitas de novos casos de Ebola também estão começando a surgir na Europa e na América do Norte, o que sugere uma ameaça de pandemia global.

"O número de novos casos [de Ebola] está se movendo mais rápido do que a capacidade de gerenciá-los", afirmou a OMS em um recente comunicado de imprensa.

Libertar.in

COMPARTILHAR:

+1

0 Response to "Cientistas alertam: Animais podem espalhar ebola"

Postar um comentário

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial