Cidade em panico no Paraná: Pedras do tamanho de laranjas cairam sobre a cidade

Cidade parcialmente destruída. Maioria das casas e empresas sofreram grandes estragos com o temporal e chuva de granizo no final da tarde desta sexta-feira (17). Muitos veículos sofreram perda total.

O prefeito municipal Affonso Guimarães decretou estado de calamidade pública em Campo Largo. A chuva de granizo, com pedras que chegaram a quase 8 centímetros de diâmetro, destruiu e destelhou milhares de casas e estabelecimentos comerciais em Campo Largo. O prejuízo ainda é incalculável, mas milhares de famílias perderam tudo o que tinham. Neste sábado de manhã, quando todos estavam mobilizados e tentavam reparar os estragos, voltou a chover novamente.

Segundo a Defesa Civil, mais de duas mil residências foram completamente destelhadas. Seis postos de saúde ficaram danificados, principalmente o do Centro, que foi todo destruído. O Centro Médico Hospitalar também foi todo destelhado e atenderá apenas casos de extrema urgência. Prejuízo de mais de R$ 400 mil em medicamentos na Central de Medicamentos do Município. O Centro Administrativo da Prefeitura também não tem condições de funcionamento nos próximos dias - toda a estrutura física comprometida, além dos veículos destruídos. A Cocel também registra prejuízos em sua sede.

Foram muitos os relatos de desespero dos campo-larguenses, tantos por verem suas casas destelhadas, alagadas, molhando todos os móveis e pertences pessoais, como também de empresários que não tinham o que fazer para salvar seus estabelecimentos. Ainda não se sabe ao certo, mas foi grande o número de pessoas que tiveram seus carros destruídos com a chuva de pedras de granizo. Muitas empresas tiveram prejuízos incalculáveis. Informações que na Enerbras o prejuízo foi milionário, pois foi completamente destruído e molhou os maquinários.

No Hospital Nossa Senhora do Rocio, cerca de 400 pacientes tiveram que ser transferidos com emergência para o novo Hospital do Rocio, pois a antiga estrutura ficou quase toda alagada e em uma ala o teto desabou. Muitas pessoas se mobilizaram para ajudar a transferir os equipamentos, medicamentos e os pacientes para o novo hospital - tudo correu bem.

Na manhã deste sábado, a procura nas lojas de materiais de construção foi muito grande e o Procon de Campo Largo colocou fiscais para verificarem situações em que estavam cobrando o dobro do preço nos materiais, sendo que é crime a cobrança de preços abusivos, principalmente em estado de calamidade pública.

Muitas escolas ficaram destruídas e provavelmente por alguns dias não seja possível o retorno normal às aulas. Defesa Civil montou estrutura no Centro da Juventude, ao lado do Corpo de Bombeiros, para ajudar os desabrigados.

Fonte: folhadecampolargo.com.br
COMPARTILHAR:

+1

0 Response to "Cidade em panico no Paraná: Pedras do tamanho de laranjas cairam sobre a cidade"

Postar um comentário

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial