Tenho que agradecer muito a Deus que tocasse no coração daqueles fuzileiros, diz sequestrador.

Em um CD entregue à Polícia Civil antes de se render, o homem que manteve o mensageiro de um hotel de Brasília refém por quase oito horas pede desculpas aos brasileiros “que foram prejudicados diretamente ou indiretamente” pela ação e conta que a arma e os explosivos usados na ação são falsos. “Quero vos lembrar que juntos somos uma nação, que juntos somos um gigante adormecido e que precisamos acordar”, afirma (ouça acima). A mídia foi divulgada nesta terça-feira (30). A corporação disse que a prisão administrativa – feita pela polícia – dura 24 horas e que o homem pode ser solto no final do dia, caso a Justiça não reforce a medida.

A ação, segundo Jac Souza dos Santos, foi motivada por insatisfação com o atual cenário político. “Nos tempos atuais somos insignificantes para o governo. Por isso, ele nos subestima, nos trata com total descaso."

"Ele nos trata com total divisão: cor, raça, religião, sexualidade. Até mesmo aquisitivo. Não podemos esquecer que, apesar das divisões sociais, ainda somos um só povo e que nossas esperanças nos dê a coragem e a determinação para alcançar os nossos propósitos e ideais. Hoje o Brasil teve um dia de crise, crise essa em que eu vim reivindicar direitos por igual para todos neste território", fala no áudio.

De acordo com o delegado Paulo Henrique de Almeida, o CD foi gravado no dia 19 de setembro, dez dias antes da ação. “Isso comprova o que a gente já sabe, que foi premeditado.”

A polícia acredita que Souza agiu sozinho. De acordo com delegado, o homem responderá por sequestro, com agravante de prejuízo moral à vítima. A pena varia de 2 a 8 anos de prisão, e não há possibilidade de fiança. O sequestrador ainda pode receber multa referente aos custos da operação, que envolveu mais de 150 policiais.

Em entrevista à imprensa na 5ª Delegacia de Polícia pela manhã, o homem afirmou que a ação vem sendo planejada desde 2012. Ele conta que tentou entregar uma carta ao governo de Tocantins, onde mora, com seis solicitações relacionadas a política. No documento, ele dizia ter uma doença em estágio terminal. O homem afirma que a falta de resposta o impulsionou se programar “para uma ação maior”.

“Não sou um criminoso. Jamais tive a intenção de tirar a vida de pessoas inocentes, jamais eu teria a intenção de tirar a minha própria vida. Fui muito cauteloso ontem, durante o andamento dos nossos trabalhos”, disse. “Tudo o que eu fiz foi pelo cidadão brasileiro. Tudo o que eu faço é pelo cidadão brasileiro. Tenho que agradecer muito a Deus que tocasse no coração daqueles fuzileiros que não me dessem aquela bala ontem. Deus predestinou que eu iria lutar e irei lutar. Eu não abaixarei a cabeça.”

Souza afirmou que planeja “novas ações para chamar a atenção do povo brasileiro” – embora menores que a ocorrida no hotel – e disse não ter se arrependido do que fez, embora considere ter sido seu “maior erro”.

Com informações do G1

COMPARTILHAR:

+1

0 Response to "Tenho que agradecer muito a Deus que tocasse no coração daqueles fuzileiros, diz sequestrador."

Postar um comentário

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial