::: Os melhores filmes evangélicos estão aqui. Fique conosco!!! :::





O mistério da "suposta morte de Paul McCartney"

Perfil Virtual - Tecnologia e Design
Em 1966, logo após o lançamento do álbum Revolver, os Beatles pararam de excursionar em virtude da dificuldade de tocar ao vivo os arranjos cada vez mais complexos e inusitados de suas músicas. Este fato, aliado a um acidente de carro sem maiores consequências sofrido por Paul McCartney, deu origem ao surgimento algum tempo depois do maior e mais duradouro boato de todos os tempos: o de que Paul McCartney havia morrido e sido substituído por um sósia.

O boato inicia-se afirmando que Paul realmente morreu no dia 9 de novembro de 1966, após colidir num cruzamento, segundo dizem, a notícia chegou a ser veiculada numa emissora de rádio, mas tudo foi "abafado". A batida foi tão forte que chegou a desfigurá-lo, matando-o instantaneamente. Foi por isso que o empresário divulgou que os Beatles não fariam mais apresentações ao vivo. Paul tinha um sósia quase-perfeito de origem anglo-escocesa, que inclusive, teria sido dublê de Paul durante as filmagens de “A Hard Day’s Night” (64) e “Help!” (65). Logo, o tal sósia foi convocado - seu nome seria Willian Campbell (outras fontes citam que o nome do sósia seria Billy Shears, personagem que seria "apresentado" ao mundo, de forma velada, em Sgt. Pepper's Lonely Hearts Club Band), já que os Beatles tinham contrato milionário com a Capitol Records.

Centenas de matérias em jornais, especulações de fãs e mesmo livros foram surgindo sustentando a versão da morte de Paul. As pessoas que acreditavam nisto se basearam em centenas de pistas que supostamente haviam sido deixadas de propósito pelos outros Beatles nas letras das músicas, nas capas dos discos e nos filmes posteriores da banda.

Os Beatles sempre negaram qualquer envolvimento ou colaboração com os boatos. As "pistas", porém, contribuíram durante algum tempo para melhorar a divulgação e aumentar as vendas dos discos dos Beatles. Segundo a teoria, estas "pistas" teriam sido feitas por John Lennon que, indignado com a farsa, decidiu espalhar a notícia da morte de Paul. Entre estas pistas, a talvez mais famosa esteja presente na música Strawberry Fields Forever, onde Lennon, ao final, diz “I Buried Paul” (Eu enterrei Paul). Anos mais tarde, Lennon revelou que na realidade a frase era "Cranberry Sauce", o nome de um molho usado para temperar aves, como o Perú.

A versão de Paul McCartney:

McCartney relembrou da reação do público na época, aparentemente com bom humor, durante uma entrevista para uma rádio do Canadá. 

"As pessoas me encostavam e perguntavam se eu era um androide, enquanto eu respondia que não, era eu mesmo. Procuravam pistas sobre a minha morte em qualquer coisa lançada pelos Beatles", disse o ex-beatle. 

O músico se justifica. "Não plantávamos nada, era tudo imaginação alheia. Inventaram que eu aparecer descalço na capa do disco Abbey Road era um sinal. Mas estava calor e fui de sandálias. Retirei-as em algumas fotos e uma delas foi escolhida", afirma.

Com informações de revista.cifras.com.br e pt.wikipedia.org




COMPARTILHAR:

+1

0 Response to "O mistério da "suposta morte de Paul McCartney""

Postar um comentário

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial