::: Os melhores filmes evangélicos estão aqui. Fique conosco!!! :::





Os cristãos que o “atirador do cinema” não conseguiu matar


Brad Strait é o pastor da Igreja Presbiteriana de Cherry Creek, na cidade de Englewood, Colorado. Ele vive perto de Aurora, cidade onde na última sexta-feira um massacre aconteceu durante a estreia do novo filme do Batman. James Holmes, 24, entrou armado no cinema e atirou a esmo, matando 12 pessoas e ferindo mais de 50.
Petra Anderson, 22, membro da igreja do pastor Strait estava no cinema com dois amigos. Ela foi uma das vítimas do atirador. Quatro balas atingiram seu corpo. Três no braço direito. Uma na cabeça. Entrou pelo seu rosto, perto do nariz e atravessou seu crânio, indo se alojar perto da nuca.
Levada para a UTI do hospital mais próximo, os prognósticos médicos não eram animadores. O caminho percorrido pela bala deveria deixá-la incapaz de falar, andar e talvez até de sair de um estado de coma. Isso se ela sobrevivesse.
A família e o pastor Brad foram para o hospital, onde esperaram e oraram durante as mais de cinco horas de cirurgia. Em seu blog, o pastor narra que Petra foi para a sala de cirurgia acompanhada de duas equipes diferentes.
Uma equipe de neurocirurgiões iria abrir a parte traseira de seu crânio para remover a bala e limpar os danos cerebrais da melhor forma possível. A outra equipe de especialistas iria acompanhar a partir do nariz de Petra a trajetória da bala através de seu cérebro. Seu objetivo era remover fragmentos de ossos, limpar o tecido cerebral danificado e fechar as feridas para reduzir a chance de infecção.
Mesmo tendo sobrevivido à cirurgia, a equipe médica foi unânime: “Alguma coisa ainda pode dar errado. Nós precisamos esperar e ver como ela reage dentro das próximas 48 horas”.
Dois dias depois, os resultados são os melhores possíveis. Petra acordou e está falando normalmente. Hoje (23) ela deve começar a fisioterapia para ver se há algum problema com sua capacidade de andar. Mas o milagre já havia ocorrido.
A bala que atravessou o cérebro de Petra atingiu áreas importantes. Mas os médicos explicam aos pais da jovem que há um “defeito” de nascença no cérebro de Petra. Um pequeno canal atravessa seu crânio, como um pequeno orifício em uma tábua, indo de um lado a outro. Isso só foi possível perceber pelas tomografias. O trajeto da bala percorreu exatamente a trajetória desse canal, causando o mínimo de estrago possível. Qualquer outra pessoa teria morrido instantaneamente ou, no máximo, ficado em estado vegetativo.
O pastor Strait, que também ensina “Formação Espiritual” no Denver Seminar acredita que desde que Deus formou Petra no ventr de sua mãe, ela cuidou dela e o milagre estava pronto desde que ela nasceu. Ainda será necessário um acompanhamento médico longo, mas a família de Petra e toda a Igreja Presbiteriana de Cherry Creek tem louvado e agradecido a Deus pelo livramento.
Mas essa não é a única história de livramento. O pastor Ed Taylor, da Igreja Calvary Chapel de Aurora, comemorou domingo o fato de que 33 membros “especiais” de sua igreja estavam presentes.
Eles são especiais porque estavam dentro da sala de cinema e não foram atingidos pelas balas.

Tannah Rich, 18, disse que ouviu os tiros mas demorou para entender o que estava acontecendo. Durante o intervalo em que o atirador trocava a munição, ela e um grupo de expectadores saíram correndo. Ela disse que somente no dia seguinte percebeu que havia uma marca de sangue no formato de uma mão em suas costas.
“Estou muito, muito feliz que Deus poupou vocês”, disse o pastor, enquanto alguns dos jovens davam testemunhos de como estavam gratos a Deus pelo livramento.
“A atrocidade de inocentes perdendo a vida é a história de Jesus”, disse o pastor. Em seguida, pediu que a igreja se unisse a ele em oração pelas famílias das 12 pessoas mortas e pela recuperação dos feridos.
Taylor pediu que os fiéis não se concentrassem no “ato insensato de um homem pecador”, mas buscassem maneiras de poder ajudar a curar sua comunidade.
Com informações The Christian Post, La Times e Huffington Post
Gospelprime

COMPARTILHAR:

+1

0 Response to "Os cristãos que o “atirador do cinema” não conseguiu matar"

Postar um comentário

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial