::: Os melhores filmes evangélicos estão aqui. Fique conosco!!! :::





Pastor Marco Feliciano fala sobre "O destino de uma nação"

Nesta última semana a noticia estampada por VEJA, mexeu muito comigo. Abaixo o texto na integra.

“Berlim, 18 março (EFE).- O pastor evangélico e antigo dissidente da extinta Alemanha Oriental Joachim Gauck, de 72 anos de idade, foi eleito hoje o 11º presidente da Alemanha com uma clara maioria de votos na Assembleia Federal”. VEJA on line


Na verdade, perdi o sono. Por um momento uma emoção forte me dominou. Imaginei há 502 anos atrás quando Lutero dava um passo de libertação se desprendendo da religião fria e apóstata que através de suas inquisições chamadas de “santas”, quase extinguiram uma fé viva, num Deus Vivo. E 502 anos depois, no mesmo país, Alemanha, um pastor luterano, é eleito presidente do país.

Me chamem de romântico, de sentimentalista, não me importo. Imaginei a mesma cena se repetindo, mas em outra nação, o meu país, o meu abençoado Brasil!

E antes que alguem zombe, permita-me mostrar que a idéia não é hipotética, mas muito real.

Nas eleições de 2010, quando o PT arrogantemente pensava que estar tudo decidido no primeiro turno, ja sorrindo pela vitória, afinal contavam com a força de Lula, pois até a imprensa dizia que o carisma do lider do PT era “messiânico”, tansferindo seu potencial pra sua sucessora, Dilma, uma mulher, e isto teve um peso fantastico, afinal num tempo de mudanças, seria a primeira mulher presidente dessa nação. Com todo esse marketing, todos apostavam na vitória imediata e facil num primeiro turno.

Mas de repente, o impensável, o inacreditavel, o segundo turno foi provocado, o PT se desespera, foram estudar as causas, pasmem, o resultado do estudo, foi o seguinte, o que provocou o segundo turno para a eleição presidencial de 2010, e tirou o chão sob os pés do invencivel PT, foi a RELIGIÃO!

Isso mesmo! A fé, a ideologia da vida pregada pelas igrejas, que se verbalizaram na surdina contra um partido que se dizia na boca-miuda, era a favor do ABORTO, e tinha ainda o peso de que o vice-presidente de Dilma, seria um satanista.

A igreja evangélica se posicionou. As midias sociais provocaram um colapso politico jamais visto na história desta nação.

E no segundo turno, as lideranças evangélicas foram procuradas, ovacionadas, opinaram. Reuniões e mais reuniões. Lideres evangélicos na mídia foram requisitados como salvadores da pátria. Eu mesmo fui procurado pelo PT, e depois de ouvir da boca da própria então ministra, hoje Presidente, que ela não era militante abortista, que tinha respeito a vida, e então emprestei meu rosto, meu nome e subi em seus palanques, e dei entrevistas a jornais, revistas, até porque no Estado de SP tive uma votação expressiva para Deputado Federal, mais de 210 mil votos.

Enfim, o respeito e o reconhecimento de que não somos mais um “zé-povinho” foi implantado, e hoje, a própria midia divulga que a bancada Evangélica tem autoridade e ja mostrou a que veio.
Voltando um pouco, na mesma eleição no primeiro turno, a Candidata Marina Silva, com seu estereótipo evangélico, e dando testemunho de sua conversão, moveu os evangélicos e sua votação foi expressiva, com 19,33% da porcentagem total dos votos 19.636.359 votos válidos. Acredita-se que destes, 75 % foram votos de evangélicos.

Fico imaginando se no segundo turno das eleições de 2010, José Serra, tivesse um vice evangélico de nome, de peso no cenário nacional. Possivelmente a história seria outra. Os votos de Marina, provavelmente seriam aglutinados a figura do evangélico ao lado de Serra.

Para as eleições de 2012 há um concenso entre os cientistas politicos. Quem não tiver o apoio dos evangélicos provavelmente não será eleito.

Então volto ao pensamento original que me levou a escrever esta missiva. Nas próximas eleições à presidente em nosso País, os partidos que tiverem essa sensibilidade, precisarão fechar com os evangélicos  para serem eleitos.

Corremos o abençoado risco de termos senão um candidato a Presidente da República Evangélico, cheio do Espirito Santo, com principios delineados pela Palavra de Deus, um Vice-Presidente.

Para que isso aconteça, é claro, é preciso trabalho! Militancia! E o apelo popular. Também precisamos de vigilância, para que o meio evangélico não se divida como acontece nesse momento entre brigas pessoais de lideres evangélicos. Se todos nós, deixarmos nossas diferenças de lado, e lutarmos unidos por este sonho, este propósito, podemos colocar em destaque, com a vontade de Deus, um José ou um Daniel ao lado ou na liderança deste nosso país!

Precisamos sonhar alto, acreditarmos, não perder o “timing”, e nos unir. Se a mídia cristã evangélica nesse nosso país abraçar esta idéia, sonhar conosco, nos protegendo de noticias negativas e divulgando o bom trabalho que os politicos evangélicos atuantes vem fazendo em Brasilia, podemos num futuro próximo viver a experiencia que vive hoje a Alemanha, ser governada por um Teólogo, um grande pastor, que teme a Deus.

O desespero dos ateus e militantes de segmentos que ferem a família no Brasil, se materializam nas perseguições religiosas. Eles sabem que se nos unirmos, mudaremos o rumo desse país. E por isso militam incessantemente contra nós.

Acordemos Nação Evangélica. Vivemos um tempo de oportunidades que não podem ser perdidas!

Termino aqui profetizando que, um dia, os crentes do Brasil ao se dirigirem para os cultos semanais a noite, irão com um radio de pilha na mão, ou um ipod, ou outro equipamento semelhante, só para ouvirem a Voz do Brasil que hoje poucos tem aptidão para ouvir. Afinal neste dia a emoção tomará conta de nós pois ouviremos um jornalista dizer: Com a palavra sua Excelência o Presidente da Republica Federativa do Brasil, e o presidente começará o seu discurso dizendo: EU CUMPRIMENTO OS COMPATRIOTAS BRASILEIROS COM A PAZ DO SENHOR!

Pastor Marco Feliciano
Deputado Federal PSC-SP
Março 2012
COMPARTILHAR:

+1

0 Response to "Pastor Marco Feliciano fala sobre "O destino de uma nação""

Postar um comentário

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial